A importância e como funcionam as estações de tratamento de água (ETA)

A importância e como funcionam as estações de tratamento de água (ETA) e de esgoto (ETE)

Conhecidas também como ETA e ETE, respectivamente, elas são responsáveis por dar sustentabilidade a todo o processo hídrico exigido para que casas e indústrias sejam abastecidas com água da melhor qualidade

As estações de tratamento de água, conhecidas similarmente pela abreviatura ETA, são na realidade uma natureza de indústria admirável de fabricação de água bebível. Os números surpreendem, apenas para você ter ideia, no estado de São Paulo são tratados nada pouco que 111 mil litros de água por de acordo com. E essa porção pode vir a reforçar com os concepções de área e evoluções que estão sendo desenvolvidos.

O abastecimento das grandes cidades vem dominantemente de rios e represas. E ainda que suas calda sejam consideradas limpas, elas trazem consigo folhas, aluvião, uma abundância de bactérias e até peixes. A água cristalina que sai da torneira da sua casa, sem cheiro, passa por um processamento afanoso de ablução. São em média 3 horas dentro de uma ETA até que ela esteja pronta para ser consumida.

estacoes-de-tratamento-de-agua

O processamento na época de tratamento de água ocorre da posterior forma:

Primeiro, o cloro Antes de qualquer coisa, dessa maneira que a água chega na época, ela recebe uma porção aceitável de cloro, fazendo com que todo o material animal e os metais sejam retirados.

Em seguida vem a pré-alcalinização

A água agora recebe cal ou soda, que ajustam o pH de acordo com os princípios exigidos nas próximas ciclos

Momento da coagulação

Aqui, adiciona-se sulfato de alumínio, cloreto férrico ou outro forma de coagulante. Logo após, agita-se a água violentamente, desestabilizando as partículas de bodega e tornando-as menos difíceis de se juntarem.

Floculação

Nesse aprendizado do tratamento, formam-se flocos com as partículas a partir da combinação lenta da água.

Etapa de Decantação

Agora, toda a água passa por tanques gigantes para que os flocos de bodega se separem.

Absorção

Tanques feitos de pedras, areia e carvão antracito servem de dutos para que a água atravesse.

O hora pós-alcalinização

Aqui ocorre a revisão final do pH da água, desse modo a corrosão ou a incrustação das tubulações são evitadas.

A penúltima etapa: desinfecção Adiciona-se mais cloro na água, daí ela já pode sair da época de tratamento. Isto protege que as indivíduos que a consomem não tenham contato com bactérias ou vírus.

Fim:

fluoretação

A água similarmente passa a abarcar flúor, que auxilia a proteger-se cáries.

Porém no momento em que se trata de tratamentos de água, não se afazer somente com a que vem de rios e represas para a torneira das casas. O caminho adverso similarmente é uma grande receio nos dias de hoje e o esgoto apresentando de residências, prédios comerciais e indústrias recebe amalucado ou mais atenção na momento de ser abordado.

Ainda que exijam muito dificuldade, as ciclos nas estações de tratamento de esgotos, ou ETE, são mais simples e objetivas que as ciclos do tratamento de água.

Cada princípios utilizado no tratamento vai sujeitar-se bastante do nível de contaminação, bem como dos aspectos físicos, químicos e biológicos da água.

Usando o estado de São Paulo como adágio mais uma vez, o modelo de tratamento que a Sabesp utiliza em suas estações é realizado por lodos ativados. O processamento se divide em duas fases: a líquida e a sólida.

Ele é utilizado tanto para alimentar o esgoto que vem das indústrias, quanto o que surge das casas.

O processamento é completamente biológico e aeróbico (com a figura de ar):

– Uma massa biológica aumenta, produz flocos e recircula ininterruptamente. Em seguida, ela é colocada em contato com a assunto orgânica.

– O esgoto abrupto e o aluvião ativado se misturam e em espaços conhecidos como tanques de aeração são agitados e areados.

– Em seguida disso, o aluvião vai para um decantador acessório, no qual toda a parte sólida se separa do esgoto abordado. Ainda que essa água de esgoto fraude não possa ser consumida de novo, ela auxilia na momento de acumular. Isto visto que se torna benéfico para fins industriais, auxilia a refrigerar equipamentos e pode ser aplicada em mais procedimentos que não exijam água bebível. Após ser fraude ela similarmente é devolvida ao meio local com um nível de contaminação aceitativo de acordo com legislação atual.

Em cada ciclo dos processos de tratamento da água há um controle rígido de porção de itens químicos e um orientação dos padrões de qualidade. A CONTECH está presente tanto nas ciclos (ETE e ETA) que requerem demarcação e controle de consumo e nível, como na ciclo de avaliação de líquido (PH, condutividade e turbidez).

Empresa especializada nesse tipo de trabalho:http://saluta.com.br/produto/eta-estacao-de-tratamento-agua/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *