Qual a origem do nome “cirurgia plástica”?

Qual a origem do nome “cirurgia plástica”?

A palavra “plástica” é derivada do termo incompreensível plastikos, que significa criar ou exemplar, e foi escolhida visto que esta conhecimento possui como propósito inventar e arrebatar tecidos do corpo para um fim exclusivo.

Em termos gerais, a intervenção plástica pode ser dividida em reconstrutiva e plástica, que são capazes de ser divididas em muitas outras especialidades.

Índia

Os primeiros registros de cirurgias plásticas datam do século VI e foram feitos na setor em que hoje está situada a Índia. Vários procedimentos realizados hoje já eram descritos em textos conhecidos como shushruta samhita.

Um malogro é a técnica que usa pele da gerência para reconstrução nasal, usada a princípio para reincidir a visual de indivíduos que tinham narizes cortados como correção por crimes.

Embora de esse tipo de danação não ser mais comum, o técnica também é muito empregado por indivíduos que perderam todo ou parte do nariz em razão de cânceres, traumas ou utilização de cocaína, por exemplo.

I e II Batalha Mundial

A intervenção plástica moderna surgiu como uma resposta aos traumas devastadores ocasionados pela I Batalha Mundial – o grande algarismo de feridos exigiu explicações criativas para reincidir suas vidas.

O estirpe da intervenção plástica moderna, Sir Harold Gilles, percebeu que as feridas precisavam ser fechadas com fazenda de mais lugares para reformar funcionalidades corporais e permitir uma visual mais “ comum ” para que os soldados pudessem prosseguir suas vidas.

Para atingir esse propósito, Sir Gilles utilizou enxertos e retalhos (o movimento de tecidos de um local para o outro, mantendo a rega de sangue sui generis ) de pele.

Um malogro sóbrio destas técnicas são os grandes ferimentos faciais ocasionados pela batalha de trincheira, que eram fechados com pele do bravura ou das pernas.

Sir Gilles e seu sobrinho Archibald McIndoe refinaram estas técnicas em soldados feridos ao longo a II Batalha Mundial – ferimentos que deixariam estas indivíduos desfiguradas e sem utilidades básicas do corpo, como encerrar os olhos ou a boca. Esses são exemplos clássicos da intervenção plástica reconstrutiva.

Uma vez que perceberam que poderiam inventar tecidos para recuperar feridas devastadoras e reincidir uma visual “ comum ”, os cirurgiões plásticos começaram a inventar tecidos para em indivíduos “normais“ para pedir uma visual melhor, criando dessa maneira a intervenção plástica plástica.

A princípio esse tipo de técnica era bastante caro e íntimo para elites ricas ou atores de Hollywood. Cirurgias plásticas estéticas comuns nos anos 1940 e 1950 eram rinoplastias e facelifts. Cirurgia em são Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *