Coisas a saber sobre as mudanças de óleo para o seu carro

Se você está confuso sobre o óleo do motor – o momento certo de trocá-lo, com que frequência, qual é o melhor óleo para o seu carro – o mecânico-chefe da Consumer Reports, John Ibbotson, pode esclarecer você. Diz a equipe Rs embreagem. 

1. Quando trocar o óleo

A resposta para muitas dessas perguntas é a mesma: verifique o manual do proprietário. Deve ser sua bíblia de manutenção e operação do carro. Não faça suposições sobre o intervalo com base em experiências passadas ou orientação de mecânicos que lucram com o trabalho, porque o tempo evoluiu ao longo dos anos.

Muitos carros, picapes e SUVs agora têm monitores de lembrete de serviço que alertam os motoristas quando trocar o óleo. “Esses sistemas normalmente monitoram o número de quilômetros que um veículo percorreu e também detectam a intensidade com que o carro está sendo conduzido e se ajustam de acordo”, diz Ibbotson.

Certifique-se de fazer sua troca de óleo logo após receber esse alerta.

2. Com que frequência verificar o nível de óleo

Você deve ficar de olho nos níveis de óleo do seu carro. Os resultados da nossa pesquisa de confiabilidade mostraram que mesmo os carros mais novos podem precisar que o óleo seja reabastecido entre as trocas.

A CR recomenda verificar o nível do óleo pelo menos uma vez por mês. Certifique-se de fazer os reparos ao primeiro sinal de vazamento.

Verifique o manual do proprietário e siga as recomendações da montadora. Alguns carros mais novos têm monitores eletrônicos de óleo e não possuem varetas tradicionais para inspeção manual.

Se você tiver uma vareta e estiver verificando você mesmo, certifique-se de que o carro esteja estacionado em terreno plano. Se o motor estiver funcionando, esteja ciente de possíveis pontos quentes sob o capô.

Com o motor desligado, abra o capô do carro e encontre a vareta. Puxe a vareta para fora do motor e limpe qualquer óleo de sua extremidade. Em seguida, insira a vareta de volta no tubo e empurre-a totalmente de volta.

Puxe-o de volta e, desta vez, olhe rapidamente para os dois lados da vareta para ver onde o óleo está no final. Cada vareta tem alguma forma de indicar o nível de óleo adequado, sejam dois orifícios, as letras L e H (baixo e alto), as palavras MIN e MAX, ou simplesmente uma área de hachura. Se o topo da “faixa” de óleo estiver entre as duas marcas ou dentro da área hachurada, o nível está bom.

Mas se o óleo estiver abaixo da marca mínima, você precisa adicionar óleo.

Preste muita atenção à cor do óleo. Deve aparecer marrom ou preto. Mas se tiver uma aparência leve e leitosa, isso pode significar que o líquido de arrefecimento está vazando no motor. Procure também por partículas de metal, pois isso pode significar que há danos internos no motor. Se você vir qualquer uma dessas condições, leve o carro a um mecânico para um diagnóstico mais aprofundado.

Se tudo estiver bem, limpe a vareta novamente e insira-a de volta no tubo, certificando-se de que esteja totalmente encaixada. Feche o capô e pronto.

Fonte de reprodução: Getty imagens

Com que frequência você verifica seu óleo?

Níveis de óleo adequados mantêm seu motor funcionando bem. Conte-nos sobre seus hábitos de manutenção de óleo e junte-se aos especialistas da CR Auto para aprender como cuidar da força vital do seu motor.

O que é o seu teste?

O teste está no coração do CR. You Test é a sua chance de se envolver. Compartilhe suas experiências sobre os produtos que você possui e como você os usa – e ouça de outros membros o que funciona melhor para eles. Teste seus conhecimentos sobre produtos, serviços e questões que afetam a todos nós.

3. Com que frequência trocar o óleo

Alguns juram pela regra “a cada 3.000 milhas ou a cada 3 meses”, mas os avanços nos motores e no óleo tornaram essa orientação obsoleta. Muitas montadoras têm intervalos de troca de óleo em 7.500 ou mesmo 10.000 milhas e 6 ou 12 meses por tempo.

“O manual do proprietário contém informações mais detalhadas sobre seu carro do que qualquer mecânico”, diz Ibbotson. “Não se deixe convencer sobre trocas de óleo com muita frequência. Siga o manual e o motor do seu carro deve ficar bem lubrificado e ter um bom desempenho.”

Ao longo de dois anos e 30.000 milhas, supondo que sua troca de óleo custe $ 60 por pop, você pode economizar $ 360 se trocar a cada 7.500 milhas versus a cada 3.000 milhas.

Não se trata apenas de quilômetros: se você não dirige muito seu carro, seu óleo ainda precisa ser mantido fresco. Mesmo se você dirigir menos milhas por ano do que sua montadora sugere trocar o óleo (digamos, 6.000 milhas, com intervalos de troca de óleo sugeridos em 7.500 milhas), você ainda deve trocar o óleo duas vezes por ano.

Por quê? O óleo torna-se menos eficaz à medida que envelhece e, por não aquecer o motor o suficiente, o excesso de umidade que se forma no motor não será removido, o que pode levar a uma vida útil mais curta do motor.

4. Escolhendo o óleo certo para o seu carro

Novamente, dê uma olhada no manual do proprietário. “Não seja vendido em óleo sintético se não houver necessidade”, diz Ibbotson.

Em muitos modelos mais novos, o peso do óleo do motor do seu carro está impresso na tampa onde você adiciona óleo. “Certifique-se de saber o que é recomendado ou exigido por sua montadora antes de visitar seu mecânico para que você possa controlar o custo do óleo que eles estão colocando”, diz ele.

Se você tem um carro muito mais antigo, precisa de óleo de motor especial?

“Não se estiver funcionando bem”, diz Ibbotson. “Se você não tem certeza de qual óleo deve usar porque não tem um manual do proprietário, verifique com seu revendedor local ou um grupo de entusiastas on-line seu modelo específico”, diz ele.

Fonte de Reprodução: Getty Images

5. Você precisa de óleo sintético?

“Só se o fabricante pedir”, diz Ibbotson, “porque pode custar de duas a quatro vezes mais que o óleo convencional”.

O óleo sintético foi projetado para ser mais eficaz na resistência à quebra (e, por isso, dura mais) e em altas temperaturas.

Existem situações em que essa resistência à quebra pode ajudar a prolongar a vida útil do seu motor.

“Se você fizer muitas viagens curtas, o óleo de motor padrão pode nunca aquecer o suficiente para queimar umidade e impurezas, o que significa que pode não estar fazendo o suficiente para proteger seu motor”, diz Ibbotson.

Outra consideração é o seu estilo de vida. “Se você mora em uma região com invernos muito frios ou verões muito quentes, ou se usa seu veículo para rebocar ou transportar material pesado, o óleo sintético é sua melhor aposta”, diz ele. “Embora o sintético geralmente resista melhor e possa servir por mais quilômetros, é igualmente importante não estender as trocas de óleo além do intervalo de tempo recomendado pelo fabricante – normalmente seis meses ou um ano se for um motor que não é acionado por muitos quilômetros ou em muitas viagens curtas.”

O óleo sintético também pode ajudar os motores propensos a acumular lodo; alguns modelos da Volkswagen e da Toyota tiveram problemas de lodo no passado. Este resíduo, formado quando o óleo quebra, pode bloquear o fluxo de óleo, levando à morte rápida de um motor. O óleo sintético seria benéfico nesses motores porque ajuda a reduzir o acúmulo de lodo, ajudando a prolongar a vida útil do motor.

Fonte: https://autopapo.uol.com.br/noticia/trocar-o-pneu-facil